ESTIMULAÇÃO MAGNÉTICA – EMT

Tecnologia de ponta associada a humanidade resultam em tratamentos não invasivos e eficientes. Buscando alternativas para o tratamento de doenças neurológicas, a EMT é um recurso valioso para quem convive com os problemas gerados pela psique humana.
 
O QUE É ESTIMULAÇÃO MAGNÉTICA TRANSCRANIANA?
 
O paciente recebe pulsos magnéticos em locais específicos de seu cérebro mapeados através de pontos de referência e determinados através de análise do caso. A estimulação é feita por meio de uma bobina que cria um campo magnético, como um eletroímã, focalizado nas áreas a serem tratadas.  Podendo estimular ou inibir, dependendo da frequência que se utilizar, a EMT modula a atividade neuronal proporcionando o resultado esperado.
 
O paciente recebe todo o tratamento sentado confortavelmente em uma poltrona. A técnica é não invasiva ( não necessita de cortes na pele ou cabelo), é realizado ambulatorialmente (em consultório), e não interfere em sua rotina diária, pois logo após a sessão pode-se voltar a atividades do dia a dia sem nenhum problema.
Existem dois tipos principais de Estimulação Magnética Transcraniana, a de pulso único e a de pulso de repetição (EMTr). No Brasil, o uso da técnica foi regulamentado pela Anvisa em 2006, e pelo conselho Federal de Medicina (CFM) em 2012.
 
O QUE FAZ A ESTIMULAÇÃO MAGNÉTICA TRANSCRANIANA?
 
A EMT, estimula regiões do cérebro que não estão cumprindo efetivamente suas funções, sem ativar desnecessariamente outras áreas, criando alterações persistentes da atividade cerebral e no modo como essa região interage com outras áreas. Com isso fazendo o papel de neuromodulação.
 
QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO COM A ESTIMULAÇÃO MAGNÉTICA TRANSCRANIANA?
 
● Eficácia de tratamento comprovada, mesmo em pacientes que não obtiveram resultados em tratamento medicamentoso;
● Resposta rápida (normalmente após uma semana de aplicações, os pacientes já apresentam melhoras significativas);
● Tratamento individualizado, definido de acordo com cada caso.
● Tratamento seguro, não invasivo, não requer anestesia ou internação;
● Técnica reconhecida pelo FDA, ANVISA e CFM;
● Praticamente isenta de efeitos colaterais ( alguns pacientes apresentam leve desconforto nas primeiras aplicações e dor de cabeça passageira);
● Não exige a interrupção do tratamento com medicamentos;
● Tratamento não limitador, pode-se realizar as atividades rotineiras normalmente logo após o término da sessão (por ex: trabalhar, estudar);