CONSULTA PSIQUIÁTRICA

Alterações no funcionamento da mente, que prejudicam o desempenho de uma pessoa em sua vida social ou profissional, são chamadas de transtornos mentais. O objetivo da psiquiatria é, por meio da saúde e da tecnologia, combater essas distorções oferecendo um tratamento adequado e que reabilite o paciente a viver plenamente.
 
Na consulta psiquiátrica é realizada a identificação desses transtornos, buscando a melhor forma de tratamento. As indicações terapêuticas variam de acordo com as características de cada caso, pois cada indivíduo é único em suas características e necessidades. O tratamento psiquiátrico pode envolver o uso de medicamentos, a psicoterapia e outras técnicas que a tecnologia nos permite ter a mão, sendo a decisão sobre como proceder tomada em conjunto entre psiquiatra, paciente e, quando necessário, a família.
 
Transtornos psiquiátricos são doenças tratáveis como qualquer outra e o medo ou vergonha de expor aquilo que incomoda, apesar de compreensível, pode ser danoso para a saúde do paciente. Psiquiatras têm o compromisso ético e pessoal de não julgar ou revelar informações alheias, buscando sempre melhorar a qualidade de vida de seu paciente como qualquer outro médico.
 

TRATAMENTO DE ALCOOLISMO

O consumo exacerbado de álcool é um grande problema de saúde pública, pois é um dos transtornos mentais mais presentes na sociedade. A dependência de álcool é uma doença de caráter crônico, extremamente danoso e de difícil recuperação.
 
 
TRATAMENTO DE DEPENDÊNCIA QUÍMICA
 
Uma vida plena é possível mesmo para pessoas que passam por transtornos psiquiátricos como a dependência química. Na CPNA, o conhecimento e a tecnologia são associados ao propósito de garantir a independência psíquica e o bem-estar dos pacientes.
 
 
DEPENDÊNCIA DE SUBSTÂNCIAS
 
Segundo a DSM-5 a tolerância, a abstinência e uso compulsivo são os três indicadores da Dependência de Substância. O consumo deixa de ser recreativo e controlado tornando-se uma necessidade urgente do indivíduo, compelido ao uso mesmo que isso signifique sacrifícios pessoais como a quebra convívio com seus familiares e abandono de sua condição financeira e social.
 
DEPENDÊNCIA DE NICOTINA
 
A Nicotina é a segunda droga com maior prevalência de autoadministração. Pesquisas apontam que o número de mortes por doenças relacionadas ao tabaco é cinco vezes maior do que o de mortes induzidas pelo álcool.
O Tabagismo é considerado um comportamento aprendido e reforçado pela Nicotina, o principal componente aditivo encontrado no cigarro, ou seja, é um vício químico e comportamental.
Muitos fumantes relatam sentir uma sensação de relaxamento após fumar, mas na verdade, a nicotina apresenta um efeito estimulante sobre o cérebro. A sensação de relaxamento é provocada por uma discreta diminuição do tônus muscular.
A Nicotina induz tolerância (necessidade de doses progressivamente maiores para obter o mesmo efeito) e dependência (desejo de consumi-la).
 
TRATAMENTO  DE TRANSTORNOS ALIMENTARES
 
Os transtornos alimentares são divididos em Anorexia Nervosa, Bulimia Nervosa e Transtorno de Compulsão Alimentar (TCA).  Sua causa é um conjunto de fatores, ligados às condições de saúde psicológica, sociocultural, biológica e genética.
Fatores de risco para desenvolvimento dos transtornos alimentares:
● Culto excessivo ao corpo;
● Maus hábitos alimentares;
● Distorção da imagem corporal;
● Autoestima baixa;
●Questões hormonais;
● Distúrbios emocionais.
 
ANOREXIA NERVOSA
 
Uma constante necessidade emagrecer, um medo avassalador de engordar, o uso das mais variadas estratégias para manter esse processo doentio de emagrecimento e a distorção da própria imagem corporal (ver-se mais gordo do que realmente é). Essas são as principais características da anorexia. A doença ganhou destaque na mídia depois da exposição de casos envolvendo modelos que morreram na tentativa de perder peso.
 
BULIMIA NERVOSA
 
O consumo exacerbado de alimentos em um curto espaço de tempo seguido de atitudes punitivas para tal comportamento. A bulimia se caracteriza por esse ciclo de “falha e punição” onde o paciente perde o controle, alimenta-se de maneira exagerada e depois se pune por meio de ações como forçar o vômito, martirizar-se em rotinas absurdas de exercícios ou consumo de medicações como laxantes e diuréticos. Os excessos, as compensações pelos excessos e seu impacto na imagem corporal, tornam-se preocupações constantes atormentando a vida do doente.
 
TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR
 
O Transtorno de Compulsão Alimentar ocorre quando pessoas que praticam excessos alimentares recorrentes, mas que não apresentam atividades compensatórias como vômito e uso de laxantes, vistos na Bulimia Nervosa. É um distúrbio caracterizado pela falta de controle onde existe uma vontade incontrolável de comer ou de ingerir alimentos, mesmo sem sentir fome.